Se você vai viajar para Maceió, confira nossas dicas!

Se você vai viajar para Maceió, confira nossas dicas!

10 de outubro de 2019 0 Por Fernando Montalvão

If you are going to travel to Maceió, check our hints out! Full version in English here.

Artigo revisado em 13 de outubro de 2019, por Jaqueline Ribeiro.


No mês de setembro deste ano (2019) fomos para Maceió, capital do estado de Alagoas, Brasil.

Quem foi?

Da direita para a esquerda, estou eu, Fer Montalvão, Jaque Ribeiro, Felipe Montalvão e sua namorada, Tamiris Alves.

Dica: planeje-se com antecedência. Como compramos nossa passagem com mais de um ano de antecedência, conseguimos pagar em torno de R$350,00 ida e volta, saindo da cidade de São Paulo, aeroporto de Guarulhos, indo para o aeroporto de Maceió, com uma escala de duas horas em Recife, Pernambuco.

Por curiosidade, fomos ver quanto ficaria a mesma passagem com poucos meses de antecedência, que é como as pessoas costumam fazer, e o valor estava variando entre R$900 e R$2500,00, para passagens econômicas!

Economia de passagem com antecedência: R$550,00

Outro ponto interessante, se você tiver a opção, fuja dos meses de alta temporada, como dezembro, janeiro e julho, e de feriados, obviamente.

Economia de passagem fora de temporada: bastante. kkk

Em nossa viagem, alugamos um carro pela Movida. Ao fazer a reserva com antecedência, não houve desconto significativo no valor. Chegando no aeroporto, fomos para o Airbnb que reservamos, exaustos. Nosso voo havia atrasado horas para decolar, chegamos muito tarde.

Voamos ida e volta pela companhia Azul. Na volta, o Felipe e a Tamiris voltaram pela Latam. Eles comentaram que o lanchinho da Azul é bem mais caprichado. Ponto para a Azul.

Dica: chegamos tarde e decidimos ir em um mercado 24 horas para comprar coisas para comer no dia seguinte, em especial frutas. O preço era quase o dobro. Fuja.

Primeiro dia – praia do carro quebrado

No primeiro dia, estávamos decididos a ir à praia do carro quebrado. No caminho, vários guias turísticos, credenciados ou não, acenam no caminho para te levar até lá. É de acesso difícil essa praia. Na hora de pegar a saída, acabamos parando para um deles, e felizmente, conhecemos o guia Adalberon, muito conhecido como Padre Marcelo. Ele tem muitas recomendações em sites de viagem, o cara é diferenciado. Demos muita sorte por encontrá-lo.

Ao descermos do mirante para a praia, vimos que o símbolo da praia do carro quebrado é um Fusca, o que foi motivo de piada – o Felipe teve um Fusca por anos, e vivia quebrando kkk.

O padre Marcelo nos ajudou a aproveitar o passeio, nos mostrou pontos que não teríamos observado, nos mostrou as famosas pedras que pintam o corpo e ainda por cima tirou fotos bem legais da turma.

Essa praia já foi eleita como uma das dez mais bonitas do país. Vale muito a pena conhecer.

Dica: vá cedinho. Por volta das 14 horas ela fica deserta, devido ao difícil acesso. E vá bem alimentado, não tem restaurantes por lá, apenas um rapaz que vende um bolinho de macaxeira delicioso em uma perua antes de você descer para a praia.

Segundo dia – passeio na rua dos bordados e

Enquanto esperávamos as garotas fazerem compras, o Felipe e eu ficamos conversando na beira de um dos acessos para o mar, onde frequentemente passava alguém com um jet-ski – o que parecia ser bem da hora, ninguém havia pilotado um jet no mar ainda. Provavelmente havia alguma marina ou locadora de jet.

Apesar da Jaqueline e do Felipe terem o Arrais amador, licença necessária para pilotar lanchas e jets, eles decidiram não se arriscar desta vez.

Fomos almoçar no famoso Imperador dos Camarões. Eles têm um prato tão original e famoso que até registraram a marca dele, se chama Chiclete de Camarão, que é ” O autêntico, receita criada pelo imperador desde 2000. Obs; Prato Registrado.Salteado no azeite de dendê, ao molho de cinco queijos, gratinado ao forno, acompanha arroz branco e batata palha ou fritas. “

O Felipe e a Tamiris escolheram esse prato. A Jaque e eu fomos de Camarão Framboesa. Foi a coisa mais deliciosa que já comemos na vida.

Após essa delícia, fomos passar o fim do dia na praia da Pajuçara, onde o pessoal fecha a avenida, ali não passa carro de domingo. Fica exclusivo para pedestres e ciclistas. Tinha bastante gente, inclusive um artista de rua encantava a todos tocando sax (vídeo abaixo).

Fotos do passeio:

  • Pôr-do-sol praia Pajuçara

Terceiro dia – praia do Gunga e falésias

Um dos dias mais legais. Pagamos em torno de R$100,00 por quadriciclo para sair da praia do Gunga rumo às falésias.

Quarto dia – furto em nossa casa

Sim, você não leu errado. Furto em nossa casa. Nesse dia, a Jaque e eu acordamos por volta das 08 da manhã, e por volta das 10 o Felipe e a Tamiris ainda estavam dormindo kkk.

Decidimos ir ao mercado municipal sem eles. Haviam nos dito que as coisas eram baratas por lá, e que havia uma grande variedade de castanhas e frutas.

O lugar parecia a Índia. O trânsito era caótico, muita gente mesmo. Após conseguirmos estacionar, demos uma olhada nas barraquinhas. Muita coisa barata mesmo.

Após comprarmos algumas coisas, recebemos uma ligação do Felipe. Ele nos disse, com uma voz de quem havia corrido uma maratona, que alguém havia entrado em casa.

Por volta das 11 ele foi na farmácia com a Tamiris. Essa pessoa que decidiu entrar em nossa casa provavelmente ficou ali fora nos observando por horas ou talvez mais de um dia. Quando o Felipe saiu, ele pensou que iria demorar para voltar. Mas a farmácia era na esquina, e em quinze minutos o Felipe voltou.

O prédio deveria ter em torno de uns 6 apartamentos. Na escada, o Felipe viu um rapaz bastante suado, vestido de roupa social, descendo com muita pressa. O Felipe até deu “bom dia”. Ao chegar na porta do apartamento, ele percebeu que estava aberta, no mesmo instante saiu correndo atrás do rapaz.

O rapaz era muito magro e muito rápido. Quando o Felipe chegou na porta de entrada do prédio, ele já havia saído – mesmo sendo uma porta que só abre para quem tem a chave, não possui uma maçaneta convencional.

Ao voltar para o quarto, o Felipe percebeu o que ele relatou como uma bagunça em minha mala (mas na verdade era uma bagunça que eu havia deixado mesmo kkk). Ele percebeu também que uma das janelas estava aberta, sendo que ele havia fechado todas quando foi na farmácia.

Não havia sinal algum de arrombamento na porta. O rapaz provavelmente entrou em nosso apartamento, abriu uma janela para poder escutar quando alguém batesse o portão e começou a vasculhar cuidadosamente as nossas coisas. Outro fato interessante é que ele levou apenas R$250,00 dos R$450,00 disponíveis no mesmo local.

Nós acreditamos que ele já fazia isso há muito tempo. Ele entra, pega algum dinheiro das pessoas, que como estão de férias, acabam tendo um controle menos eficaz, acabam acreditando que gastaram em outra ocasião.

Avisamos no Airbnb para as pessoas ficarem mais espertas. Não recebemos nosso dinheiro de volta, apenas fomos restituídos da diária perdida – ficamos o dia todo aguardando a troca da fechadura e indo na delegacia fazer o boletim de ocorrência.

Bom, as fotos desse dia são a Jaque super feliz por ter comprado 1 kg de castanha por R$35,00 na feirinha do artesanato na praia da Pajuçara kkkk e nós todos na churrascaria Sal e Brasa, que aliás é um ponto obrigatório de visita para quem ama churrasco. Na noite em que fomos tinha um pianista tocando, nos privilegiando com um som ambiente muito agradável, tocando clássicos de bandas consagradas como Queen.

A parte 02 desse artigo, sobre a viagem para São Miguel dos Milagres e Maragogi, continua aqui.

Comente embaixo quais outros passeios que deveríamos ter feito em Maceió. Qual a praia mais bonita de lá? Qual o prato mais gostoso/ exótico que você já comeu nessa região? Você acha que era possível termos evitado a situação do furto? Como? Nos dê sua opinião!